segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Quero te abraçar no Céu - I

Uma noite, quando eu era bem pequenina, estava muito angustiada e não conseguia dormir. Chorava silencioso pra não incomodar ninguém. Minha irmã mais velha percebeu de alguma forma e perguntou o que eu tinha. Disse-lhe sobre a minha angústia. É que eu imaginava o Céu como uma casinha brilhante suspensa no ar e uma enorme fila. Nela pegávamos a nossa roupa completa de pássaro para vivermos a eternidade voando pelo firmamento. Só que tinha um problema: Se nós ficávamos para sempre fantasiados de pássaros, como eu reconheceria a minha mãe? Eu não a veria mais? E foi essa, com algumas variações, a pergunta que eu fiz à minha irmã naquela noite. Ela disse com muita simplicidade e tato (e só tinha um ano a mais que eu): “Mas, fique tranqüila, podemos tirar a máscara sempre que quisermos”. E a angústia se foi e eu dormi tranquilamente... Essa é uma história sobre minha irmã e eu, mas acima de tudo sobre a minha velha vontade de te abraçar no Céu, mãe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário